quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Msg do dia 11 de novembro

Há uma pequena e antiga história a respeito de um porquinho que é muito interessante. Certo fazendeiro decidiu que iria adotar um porquinho como seu animal de estimação. Afinal, por que apenas os cães e os gatos são considerados como tais?!

Assim levou para casa o suíno, deu-lhe um banho demorado com bastante xampu, lustrou-lhe as unhas, perfumou-o e lhe adornou o pescoço com um laço de fita. Na sala, ele foi colocado sobre uma fina almofada de cetim.

O porquinho estava indiscutivelmente simpático e até se comportando como um autêntico animal de estimação. Os visitantes ficaram impressionados com a transformação do suíno, um animal tão pouco afeito à boa aparência e sobretudo aos preceitos de higiene. Tudo parecia ir muito bem, até que alguém, abrindo a porta da frente, saiu e se esqueceu de fechá-la de novo. O porquinho saltou da almofada e deixando a sala saiu numa desabalada carreira, indo jogar-se em cheio numa poça de lama, ao lado da horta da fazenda.

Sabe o por quê?

Porque na verdade, apesar do banho, dos adornos e de todos os recursos usados em favor da boa aparência do animal, no fundo ele continuava sendo porquinho. Sua natureza, seus interesses e preferências não mudaram. Apenas o lado externo fora transformado, mas interiormente ele se mantinha o mesmo, um suíno. Coisa semelhante acontece com o ser humano.

A pessoa sabe que precisa de uma mudança em sua vida! E por que não consegue mudar? Porque, na realidade, o seu interior, o coração com todos os desejos e interesses não foi mudado. Não houve nenhuma mudança de atitude; nenhuma transformação de sentimentos que a fizesse consciente da sua nova natureza.

E você, quer mudar?
Então comece mudando o seu interior!

Nenhum comentário:

Postar um comentário